As Defensorias Públicas de São Paulo e da União exigem da prefeitura, governo do estado e governo federal o valor de R$ 2 milhões em indenização por danos morais, coletivos e sociais para as famílias que viviam no edifício Wilton Paes De Almeida, no Largo do Paissandu, no centro da capital.

A Prefeitura informou que das 171 pessoas que moravam no prédio, 149 já estão recebendo auxílio moradia. O governo do estado disse aguardar manifestação do judiciário. A Superintendência do Patrimônio da União em São Paulo disse que não foi informada oficialmente sobre a ação.

+++ Polícia vai investigar cobrança de “aluguel” por parte de movimentos

+++ Polícia também vai investigar elo entre PCC e invasões em SP

Movimentos são poupados

Os movimentos responsáveis por colocar cerca de 400 pessoas no prédio e cobrar aluguel de cada família não foram acionadas pela Defensoria e, portanto, não serão obrigadas a arcar com nenhum custo.

+++ Moradores pagavam ‘aluguel’ para coordenadores de movimento

+++ Doria diz que parte da invasão no centro foi feita por facção criminosa

+++ Opinião: A Justiça precisa averiguar as finanças de movimentos


23/05/2018