Movimento convida pessoas para festa na Cracolândia

Em mais uma operação na região da Cracolândia, dois traficantes são presos e 1,5kg de drogas são apreendidas. Ação que ocorreu na madrugada deste domingo, 11, faz parte das ações de desmobilização do tráfico de drogas e de acolhimento médico e social do programa Redenção, da gestão João Doria.

Usuários e traficantes ocupavam toda a praça Princesa Isabel desde o último dia 21 de maio, quando uma grande ação policial prendeu mais de cinquenta traficantes e dispersou usuários do antigo “fluxo” na rua Dino Bueno, o que era um verdadeiro shopping do crack.

Durante a ação deste domingo, alguns usuários atearam fogo em barracas, mas apesar da hostilidade de alguns, não houve nenhum tipo de confronto, nem feridos.


Após a ação de desocupação, cerca de 120 homens da prefeitura entraram em ação na limpeza da área, totalmente vandalizada e com inscrições do PCC em árvores e monumentos.


“Venha compartilhar felicidade com o fluxo da Cracolândia “
Apesar do esforço do poder público e do apoio da maioria dos paulistanos, registrada na última pesquisa do instituto Datafolha, ainda há quem brinque com a vida dos dependentes químicos organizando festas na região, como o “Forró do Fluxo” que pretendia reunir pessoas na Praça Princesa Isabel no Dia dos Namorados para “compartilhar felicidade com o fluxo”. O evento foi organizado pelo movimento Craco Resiste edivulgado em páginas do Facebook.

Balanço do programa

Segundo informações divulgadas na página do prefeito João Doria no Facebook, a prefeitura já realizou até o dia 07 de junho 11.868 abordagens e 6.726 encaminhamentos de usuários de crack, além de 186 internações voluntárias.

Unidade de Atendimento Emergencial

Na última semana a prefeitura iniciou a implantação de um centro na região para acolhimento dos dependentes. Trata-se da Unidade de Atendimento Emergencial (UAE) para tóxico dependentes e moradores em situação de rua.

O centro conta com 100 camas, estrutura para banho com itens de higiene pessoal, alimentação e profissionais de saúde como psicólogos. A partir deste centro, usuários poderão ser encaminhados voluntariamente aos Centros Temporários de Acolhimento (CTA) ou para comunidades terapêuticas.

Funcionários trabalham na montagem das camas que ficaram em containers utilizados também na Fórmula 1.


Relacionados